top of page

Drake x Kendrick: entenda a treta e conheça as músicas lançadas pelos rappers

Brigas no mundo da música não são nenhuma novidade. E quando o assunto é rap, nem se fala. Cada geração de rappers tem a sua treta mais conhecida e rivalidades históricas, e se a resolução não vem na base da agressão física, algo cada vez mais raro (felizmente) os cantores lançam músicas para atacar seus rivais: as famosas diss. Entre os embates mais famosos do movimento hip hop está o lamentável racha entre Tupac e Notorious B.I.G., que cortaram os laços pouco antes de serem assassinados em 1996 e 1997, respectivamente.

Ainda nos anos 90, 50 Cent e Ja Rule também protagonizaram uma rivalidade histórica, que rendeu tracks como “Ja Rule Duets”. Já nos anos 2000, Jay-Z e Nas chegaram a protagonizar uma das maiores tretas da época, enquanto Eminem decidiu comprar uma braga com a diva pop Mariah Carey, anos depois, dando origem ao hit “Obsessed”. Nos últimos anos, alguns desentendimentos ficaram famosos, como o de Nicki Minaj e Cardi B e Drake vs Kanye West, que mudou o nome para Ye. Drake voltou a protagonizar uma briga assim há poucos anos, dessa vez contra Pusha-T, que concluiu o embate revelando que o canadense tinha um filho escondido.

Agora, o historicamente treteiro Drake retorna ao olho do furacão em um embate épico — e potencialmente histórico — com o rapper Kendrick Lamar. A briga, que começou com ofensas pessoais e vinha marinando há anos, logo escalonou para o lado criminal, com versos envolvendo questões de raça, apropriação cultural, abuso sexual e físico, misoginia e trauma. Algo surpreendente se pensarmos que Kendrick sempre possuiu uma postura mais reservada em relação a outros rappers de sua geração. Ele decidiu expor Drake em versos avassaladores, que totalizam mais de 20 minutos de ataque e milhões de visualizações nas plataformas de streaming.

Na última semana, por exemplo, a dupla se bombardeou com vários ataques musicais — cada um mais pesado que o outro. Entre as principais músicas dessa treta estão “Family Matters”, de Drake, e “Not Like Us”, de Lamar. Porém, a origem de tudo isso envolve outros artistas que já tiraram bateram em retirada nessa guerra.

A origem de toda a treta foi uma música lançada no final de março. Em “Like That”, uma parceria entre Kendrick Lamar, Future, Metro Boomin, Lamar negou a teoria de que estaria em um top 3 com Drake e J. Cole, dizendo que “eu sou o maior de todos”, além de fazer referência, de forma derrogativa, a um feat de Drake e Cole.

A primeira resposta veio de J. Cole, que escreveu uma diss furiosa para Kendrick no álbum Might Delete Later. Na música “7 Minutes Drill”, Cole rasga o verbo e diz que “recebi uma ligação dizendo que alguém estava me atacando. Sua primeira merda foi clássica, sua última merda foi trágica”. Dias depois Cole retirou a música do ar e se desculpou publicamente. Ele deixou claro que não tinha intenção, ou vontade, de continuar brigando. Olhando a progressão da treta, nos parece uma decisão cada vez mais sábia.

Em meados de abril foi a vez de Drake se pronunciar. Em “Push Ups”, ele fez questão de deixar bem claro quem era o alvo de sua fúria, citando alguns feats famosos de Lamar. Ele diz que “SZA te colocou no seu lugar, Travis [Scott] te colocou no seu lugar, Savage te colocou no seu lugar”. Drake citou ainda outras parcerias, incluindo a de Lamar com Rick Ross, e também recebeu uma diss do americano, que afirmou que Drake fez plástica para ter um abdômen definido.

Antes mesmo de receber uma resposta de Kendrick Lamar, Drake lançou sua segunda diss, “Taylor Made Freestyle”. Nela, ele diz que Lamar não o respondeu por estar aguardando aprovação da cantora pop Taylor Swift, que lançava seu mais recente álbum, The Tortured Poets Department.

Ainda assim, outra coisa chamou atenção na letra e fez Drake tirar a música do ar. O rapper canadense usou inteligência artificial para recriar as vozes de Tupac, Snoop Dogg e do próprio Lamar durante a música, mas recuou após uma notificação dos proprietários dos direitos autorais de Tupac.

O uso de IA não caiu nada bem para Drake e fez a opinião pública pender para o lado adversário. Pegando carona nessa onda, Kendrick Lamar lançou, na semana passada, o single “Euphoria”. Nela, Lamar disse que Drake “não é um rapper, é um golpista querendo ser aceito”, além de questionar a paternidade do rival. A inteligência artificial também não ficou fora, o rapper questionou se estava brigando com “um fantasma ou com uma IA”.

E já que Kendrick decidiu colocar a família no meio, Drake também não ficou para trás e lançou “Family Matters”. Porém, a letra de Drake pegou muito mais pesado, citando a mulher de Lamar e o acusando de agressão enquanto cita a baixa estatura do rapper: A letra toda é provavelmente a segunda mais agressiva de toda essa treta, sobrando até para o saudoso Michael Jackson, citado na primeira música da briga. Drake ainda acusou Lamar de ter pedido para a família de Tupac intervir para “Taylor Made Freestyle” sair do ar.

No sábado (4), um dia depois de Drake perder a linha em “Family Matter”s, Lamar lançou “Meet the Grahams”, uma música de quase sete minutos em que ele cita nominalmente a família do rival e faz sérias acusações sobre sua conduta.

Além de citar o filho do rapper, Adonis, Kendrick também falou sobre uma suposta filha que o canadense não teria assumido. E ele não parou nas crianças, a música ainda cita nominalmente os pais de Drake, e lamenta o fato do cantor ser como ele é. Mas nada se iguala as insinuações de que o adversário estaria envolvido com abuso de menores e predadores sexuais, além de compará-lo ao ex produtor de Hollywood, Harvey Weinstein, preso por violência sexual.


"Meet the Grahams" foi considerado, por muitos, como o golpe definitivo na briga. Mas Lamar não parou por aí.

Não se passaram nem 24 horas para que Kendrick Lamar lançasse mais uma bomba na cabeça de Drake — e dessa vez as acusações envolvendo pedofilia se intensificaram. A música “Not Like Us” foi lançada no YouTube com uma thumbnail que mostra a mansão de Drake marcada com várias setas utilizadas em um aplicativo que indica casas de predadores sexuais, como explica o The Direct.

Entre os versos que atacam Drake estão “fala aí, Drake, ouvi dizer que você gosta das novinhas” e “é melhor você nunca ir pra uma cela de prisão”, além de dizer claramente que o canadense é “um pedófilo qualificado”.


A dobradinha "Meet the Grahams" e "Not Like Us', que vem com uma batida mais divertida e já virou moda em baladas nos EUA, pareceu encerrar de vez a conversa. Mas Drake decidiu responder.

Após os vários ataques de Kendrick, chegou a vez de Drake revidar. Com “The Heart Part 6”, lançada no domingo (5), Drake muda o tom e tenta assumir o controle da discussão e cobra provas. Ele voltou a acusar Kendrick de ser um pai ausente e disse que as insinuações envolvendo abuso de menores tem relação com algum trauma de infância do americano.

A letra mescla ofensas com ameaças e afirmações de superioridade, como no verso “você pode lançar mais centenas de músicas, vou continuar superando”. Drake também voltou a acusar o rapper de violência doméstica e citou a mulher dele: “e, Whitney, pode me ligar, se você precisar de um favor”.

A música, que usa o título de uma série de singles chamada "The Heart" lançadas por Lamar, também oferece uma defesa para as acusações de pedofilia, com Drake dizendo que é famoso demais para isso. A recepção foi, no máximo, morna.


Essa briga está longe de acabar e tem tudo para ser uma das maiores rivalidades da história do rap internacional. Fique de olho no Omelete para saber sobre os próximos passos de cada um.

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page