top of page

Advogada que perdeu movimentos do corpo ao fraturar coluna vai disputar campeonato amador de fisiculturismo

A advogada de 30 anos que perdeu todos os movimentos do corpo ao fraturar a coluna durante um abdominal invertido, em São José do Rio Preto, no interior de São Paulo, vai disputar o maior campeonato amador de fisiculturismo do mundo, em Portugal, para se profissionalizar como atleta da modalidade. A competição será dia 6 de julho.

O acidente que fraturou a vértebra e lesionou a medula de Marcelle Mendes Mancuso aconteceu há oito anos, quando ela tinha 21 anos. A mulher fazia uma aula experimental em uma academia e caiu ao fazer o exercício, em que o aluno fica de cabeça para baixo pendurado no aparelho pelos pés.

Na ocasião, ela perdeu todos os movimentos do corpo, mas se recuperou completamente em um ano. Por pouco, o acidente não a deixou tetraplégica ou com sequelas neurológicas. A história de superação de Marcelle virou notícia internacional.


As atividades físicas não deixaram de se fazer presentes na vida da jovem, que hoje é atleta de fisiculturismo na modalidade “bikini”, em que são escolhidas atletas com beleza natural e grupos musculares firmes.

Marcelle conta que sonha em conquistar o prêmio no Olympia Portugal, o maior campeonato amador do mundo. Isso porque nele há a possibilidade de ganhar o credenciamento de atleta profissional.

“Todos os dias eu ensaio poses e faço o desfile em frente ao espelho para que, no dia, eu consiga fazer uma apresentação bonita. Eu preciso dar o máximo em todos eles. Quero levar aos palcos a minha história e a minha persistência pela vitória”, reforça Marcelle.


Com dedicação, resiliência, treinos e alimentação regrada, a jovem revelou que já iniciou a preparação na luta pelo troféu. Para isso, é necessário, segundo ela, uma rotina de três treinos por dia, entre musculação e exercícios cardiovasculares.


Início na modalidade

Ao g1, a advogada lembra que entrou para o universo do fisiculturismo a partir de uma conversa com uma amiga. Porém, o campeonato do esporte seria realizado em apenas 40 dias em Rio Preto. Para efeito de comparação, muitos competidores se preparam durante anos para a competição.

Com o tempo curto, em conversas com o treinador, decidiu topar o desafio. Mesmo assim, levou dois prêmios no campeonato.


O que começou como uma ideia inusitada - e por vezes irreal - de uma amiga, hoje, Marcelle vê como uma possibilidade de se tornar atleta profissional.

Em 2016, Marcelle caiu ao fazer o "abdominal invertido", exercício que ela já tinha feito várias outras vezes em outra academia. Ela perdeu todos os movimentos no momento do acidente e não conseguia mexer nenhuma parte do corpo abaixo do pescoço.

"O personal trainner da academia estava me dando um suporte nas costas do aparelho e os meus pés estavam presos por uma faixa. No exercício, essa faixa se rompeu muito rápido e ele não conseguiu me segurar. Eu caí imediatamente, batendo a minha nuca no chão ali no pé do aparelho", lembra a jovem.


A advogada foi hospitalizada e ficou internada na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital de Base (HB), com fratura na quinta vértebra e lesão na medula.

Marcelle cursava o último ano de direito e precisou trancar a faculdade, além de precisar da ajuda dos pais para fazer praticamente tudo.


Posts recentes

Ver tudo

Comentários


bottom of page