top of page

Advogada e filha menor são filmadas(e gravadas) em provador de loja de lingerie. A loja diz "que não fazia nada com as imagens".

Tudo aconteceu quando a mãe acaba notando uma câmera apontada em sua direção no provador. Ao interrogar a atendente, ela diz que aquela apenas mostra e não grava, e aponta as outras 2 que estariam gravando. A dona do estabelecimento em momento algum foi até ela para dar explicações, porém a atendente levou o celular da chefe até ela mostrando as câmeras, o que já causou desconforto, após isso a mãe ficou sabendo que as imagens não eram apagadas, e sim direcionadas ao email da dona e ao homem que instalou as câmeras lá.

Consternada a advogada pega suas coisas e a filha adolescente e se dirige a delegacia de defesa da mulher, onde prontamente foi atendida e uma viatura foi até o local. Ao ver as câmeras, deu para ver nitidamente quem estava provando as roupas, nuas e semi nuas. O B.O. foi feito e está em processo de crime contra a mulher. O caso aconteceu em Botucatu- SP

O caso se enquadra no artigo 216B do código penal. Isso serve de alerta para estabelecimentos comerciais quanto ao uso de câmeras dentro de provadores ou que peguei os clientes dentro deles, assim como aos clientes que notarem câmeras nos estabelecimentos nestes lugares.

Fonte: Canal Beto Ribeiro no YouTube


Assista a entrevista completa:


Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page